Estudantes do Paranhana apresentam criações em Desfile Virtual dos formandos de Moda da Feevale

Todos os anos, ao findar o curso, os estudantes de Moda da Universidade Feevale apresentam as suas criações em um verdadeiro espetáculo. Mas para este atípico 2020, o Projeta-me, considerado o maior desfile acadêmico de moda do Brasil e que chega a sua 30ª edição, terá que ser realizado no formato virtual. Para isso, quatro jovens talentos residentes no Vale do Paranhana vão mostrar o resultado das coleções desenvolvidas no Trabalho de Conclusão de Curso. Ana Claudia Teixeira, Gabriela Sander, Maristela Veiga dos Santos e Rafaela Sironi conversaram com a reportagem do Drops do Cotidiano sobre suas criações, inspirações, processo criativo e toda a preparação para o desfile final. Confira:

Movimento do Surrealismo: arte, sentimento e moda

Frenzy é o nome da coleção criada por Ana Claudia Teixeira, 23 anos. Com o tema “A moda surreal: as criações surrealistas de Elsa Schiaparelli e Salvador Dali” a moradora de Taquara buscou em personagens históricos da moda e da arte suas inspirações. “Escolhi esse tema pela afinidade e gosto pessoal por ele, além de toda liberdade de criação que ele me traria. Pude adquirir muito conhecimento e bagagem cultural”, pontua.

Ela conta que o movimento artístico surrealismo a atrai, assim como os dois personagens que celebra nas coleções. “Elsa Schiaparelli atuou de 1928 a 1954 e foi uma grande estilista, revolucionária para época! O pintor surrealista Salvador Dali é famoso por seu quadro ‘a persistência da memória’”. Em suas criações foram usados tecidos como tafetá, lycra dublada para calçado, plissado estruturado e viscose sarjada. Além dos aviamentos, como zíper, entretela, manta acrílica e até arame. “Para a construção da minha coleção usei em maioria tecidos estruturados e também alguns com fluidez. Minha coleção é tomada por formas, volumes e estruturas, então exigia tecidos rígidos ou com facilidade de estrutura”, relata.

Movimento, arte e sensibilidade com muita cor e vibração

A igrejinhense Gabriela Sander, 22 anos, é a criadora da coleção “Motus”. A expressão vem do latin, significa movimento e, assim, já no nome se percebe qual a característica mais presente em seu processo de criação e resultado. “Escolhi a poética do vestir pela possibilidade de sair da zona de conforto e por ela permitir tentar fazer o diferente, podendo incorporar o sensível dentro de uma coleção de moda”, conta.

A estudante reuniu os artistas locais Luka Machado, Gustavo Deon, Cecília Stumpf e Mônica Branquier para uma performance, em março, pouco antes da pandemia, onde promoveu a interação entre os participantes e a harmonia deles com tecidos, tintas, água e pincéis. Como referência, foram utilizados artistas modernistas e contemporâneos como Yves Klein, Lygia Clark, Hélio Oiticica, Marina Abramović, Pina Bausch e Diane Sbardelotto.

O material principal da coleção é o voil estampado que foi produzido na performance. Somado a ele, Gabriela trabalhou com materiais que trouxessem diferentes texturas e acabamentos para a coleção, como o linho e a musseline changeant.

Alegria, cor e diversão em coleção infantil

Sabe aquelas pessoas que gostam de desafios? Esta é Maristela Veiga dos Santos, 36 anos, moradora de Parobé. Ela atua já como designer de sapatos e bolsas e, por isso, decidiu se aventurar em seu TCC abordando um tema totalmente diferente de tudo o que já fez, sendo assim, algo desafiador. Deste desejo surgiu a coleção “Moda Praia Infantil”, que tem como inspiração aquelas para quem suas peças são destinadas: as crianças. “Senti a necessidade de desenvolver uma coleção que traga esta ideia de produto com carinha de criança, com peças mais adequadas para crianças, realmente”, explica. Por isso, além dos aviamentos, seu material padrão foi a Lycra® praia, que garante toda a mobilidade para a criançada não perder nada da brincadeira, em combinações coloridas e divertidas.

A artista brasileira preferida como fonte de inspiração

É Tarsila do Amaral, uma das mais importantes pintoras brasileiras, quem indica o caminho da coleção de Rafaela Sironi, 22 anos. Denominada “À Tarsila”, tem como principal inspiração as cores e os elementos dos quadros da artista que é um dos ícones do movimento modernista no Brasil. “Escolhi esse tema porque sempre gostei de arte e foi natural escolher a Tarsila do Amaral, pois ela é minha artista brasileira favorita”, explica a jovem estilista que reside em Três Coroas.

Nas criações, usou principalmente crepes de diferentes tipos como material, enquanto esbanjou cores vibrantes dando ainda mais vida às peças.

No formato on-line, esta edição do desfile, que apresentará os looks criados pelos 23 estudantes concluintes do curso de Moda, terá como conceito de comunicação a mistura dos movimentos dadaísta e surrealista, a partir de uma bricolagem de imagens dos eventos anteriores. “Com um pensamento sustentável e seguindo a premissa de que o Projeta-me é um evento pensado e organizado por alunos e para alunos, dentro da disciplina de Produção de Eventos de Moda, a temática trabalhada neste semestre modificou a representação racional usada todos os anos para a construção de uma colagem digital. Essa iniciativa se torna uma ideia sustentável financeiramente, socialmente e ecologicamente”, explica a professora Ana Hoffmann, coordenadora do evento.

A transmissão, que será gratuita e aberta ao público, acontecerá no canal do YouTube da Universidade Feevale nesta sexta-feira, às 20 horas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s