Violência Contra a Mulher: Campanha Máscara Roxa é novidade nas seis cidades do Vale do Paranhana

Nesta terça-feira, 21, o Vale do Paranhana iniciou, de forma oficial, a campanha Máscara Roxa, criado pelo Comitê Gaúcho ElesPorElas da ONU Mulheres. A ação permite que mulheres vítimas de violência doméstica possam denunciar seus agressores nas farmácias que aderem a campanha. A região conta com, até o momento, 14 farmácias “Amigas das Mulheres”.

De acordo com o deputado estadual Edegar Pretto, coordenador do Comitê Gaúcho ElesPorElas, a Campanha Máscara Roxa foi motivada por uma recomendação da ONU, que identificou no mundo o aumento dos casos de violência contra as mulheres durante a pandemia do novo coronavírus. “É o período em que as vítimas passam mais tempo em casa com seus agressores devido à necessidade de isolamento social”.

Conforme o deputado, nesse contexto, a ONU orientou que seus países constituíssem políticas de enfrentamento e colocassem as farmácias como canais alternativos de denúncias, uma vez que, junto ao aumento, também foi constatada a subnotificação dos casos de violência doméstica. A compreensão é de que as mulheres não estão conseguindo pedir ajuda via meios tradicionais, como telefonemas, delegacia física ou até mesmo on-line. “O agressor costuma seguir os passos da vítima e faz a vigilância do aparelho telefone, quando não está de posse dele.”

Lançamento da campanha aconteceu de forma virtual, com a participação de autoridades e diversas lideranças locais. / Foto: Divulgação Gabinete do RS

Números crescem

Edegar Pretto ressaltou que essa realidade também é a do RS, que registrou um aumento de feminicídios durante esse período de isolamento. Nos meses de março, abril e maio, 28 mulheres foram assassinadas por questões de gênero, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado. Somente em abril, o aumento foi de 66,7% em relação ao mesmo mês do ano passado. Ao todo, de janeiro a junho deste ano, 51 mulheres morreram vítimas de feminicídios no estado. 

A vereadora Mônica Facio, de Taquara, acrescentou que neste período de isolamento social aumentaram em mais de 400% as denúncias via redes sociais de violência doméstica, que são relatadas e identificadas por vizinhos das vítimas através de paredes de casas e apartamentos. Ela parabenizou o Comitê Gaúcho ElesPorElas pela campanha e apontou que a criação de estratégias que facilitem a denúncia é de responsabilidade de toda a sociedade.

Como funciona a campanha

Os atendentes receberam capacitação on-line para o procedimento e para garantir a segurança da vítima. Ao chegar na farmácia a mulher deve pedir a máscara roxa, que é a senha para que o atendente saiba que se trata de um pedido de ajuda. O profissional dirá que o produto está em falta e pegará alguns dados para avisá-la quando chegar. Após, o atendente da farmácia passará à Polícia Civil as informações coletadas, via WhatsApp, para que o órgão tome as medidas necessárias. 

Os seis municípios do Vale do Paranhana possuem Farmácias Amigas das Mulheres

  • Igrejinha – Associadas / Vida Farmácias;
  • Parobé – Associadas / Vida Farmácias / Agafarma / Tchê Farmácias;
  • Riozinho – Vida Farmácias;
  • Rolante – Vida Farmácias / Agafarma;
  • Taquara – Associadas / Vida Farmácias / Agafarma / Preço Mais Popular;
  • Três Coroas – Agafarma

Edegar Pretto lembrou que qualquer farmácia pode aderir. Segundo ele, o objetivo é envolver também aquelas que não fazem parte de grandes redes, mas que estão em cidades menores. Interessados devem entrar em contato com o Comitê: 51 99199.3641 | comite.gaucho.elesporelas@gmail.com.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s