Conheça Denise Pomje, a patronesse da 20ª Feira do Livro de Igrejinha

Em 2020, a jornalista Denise Pomje foi convidada para ser a Patronesse da 20ª Feira do Livro de Igrejinha, evento que acabou sendo cancelado em função das restrições da pandemia. Em abril deste ano, com o retorno dos eventos presenciais, a Secretaria de Educação de Igrejinha, organizadora do evento, reiterou o convite para que ela tivesse a honrável missão.

A pessoa escolhida precisa atender alguns critérios pré-estabelecidos, como realizar atividades relacionadas à cultura e educação, ter condições de auxiliar na organização, divulgação e acolhida dos visitantes no evento, conhecer a história de Igrejinha em seus aspectos sociais, geográficos e culturais, entre outros. Além disso, a Denise representa muito bem o tema da feira deste ano: “Leitura, solidariedade e voluntariado”, que acontece nesta semana, de 20 a 22 de junho nas escolas de Educação Infantil e, de 23 a 25, no Parque de Eventos Almiro Grings, aberta à comunidade.

Denise recebendo o convite da secretária de Educação Cristiane Martin e da professora Carla Klein

Quem é Denise Pomje

Primeira jornalista de Igrejinha, feito do qual muito se orgulha, sempre sonhou em trabalhar com comunicação. Assim como muitos igrejinhenses, iniciou sua vida profissional na indústria calçadista, trabalhando durante o dia e estudando à noite. Antes da faculdade de Comunicação, cursou Letras, na Unisinos, onde se formou. Trabalhou em rádio, jornal diário, assessoria de imprensa e na assessoria política. Há 22 anos, trabalha na comunicação da empresa Bischoff Group, do designer Jorge Bischoff e das marcas que ele assina.

Denise sempre foi uma profissional de bastidores e não dos holofotes. Tanto que, por isso, foi difícil aceitar que merecia a homenagem, fazendo-o por insistência dos amigos e da família. Reconhecida pelo envolvimento social e voluntariado, tem importante passagem como voluntária da Oktoberfest de Igrejinha. Em 1987, foi convidada pelo então prefeito Lauri Auri Krause – de quem foi amiga e a quem considera ter um espírito comunitário como não viu outro igual -, a realizar a pesquisa e o planejamento para desenvolver uma festa popular com o objetivo de resgatar a cultura germânica e envolver a comunidade em torno de um grande ideal. “Nunca mais consegui me desvencilhar da festa. Elaborei vários projetos para este evento e hoje vejo com orgulho a proporção e a importância da festa para a cidade e a região. A Oktoberfest resgatou o orgulho das nossas origens e da nossa cidade. Hoje, a gente enche o peito toda vez que fala que é de Igrejinha, e naturalmente, vem o complemento da frase: terra da Oktoberfest, a maior festa comunitária do Brasil!”

Jornalista, especialista em Comunicação Institucional, em Marketing e Varejo, fez da leitura escrita mais do que um hobby. Escrever é parte de seu ofício diário, além de ter no currículo envolvimento em diversas publicações e de ter publicado um livro de crônicas. “Minha vida pessoal e profissional se confundem. Por conta da minha função, trabalho muito e a qualquer momento. Mas é um universo de muito prazer, de aprendizado constante e que me proporciona conhecer muitas histórias, iniciativas e pessoas… e aí já não é mais trabalho! No meu tempo livre, gosto de viajar (sempre com esse espírito de aprender mais sobre outras culturas), de estar com a família, de atividades ao ar livre e de curtir meus cachorros – são cinco – (quem me conhece sabe o quanto eu amo os animais)”, declara.

Confira entrevista exclusiva com a Patronesse Denise Pomje:

Drops do Cotidiano: Como você recebe esse convite e reconhecimento em ser patronesse da Feira do Livro de Igrejinha?
Denise Pomje: Pra mim, foi como receber um prêmio! Sinto que o convite para ser a Patronesse da 20ª Feira do Livro de Igrejinha é como o troféu por uma vida dedicada à Comunicação e ao Voluntariado (que é parte do tema dessa edição da Feira).Fui surpreendida por esse convite (há dois anos), ainda antes da pandemia, e que me foi renovado agora em 2022. Mas jamais imaginei estar no cargo de Patronesse da Feira do Livro. Me considero escritora, mas não de grandes narrativas, poesias, crônicas… ainda que tenha experimentado esse ofício algumas vezes. Sou uma profissional das letras. Jornalista, especialista em Comunicação Institucional, em Marketing e Varejo e a escrita está no meu DNA.

Drops: Como é a tua relação com a Literatura e os livros? O que você mais gosta de ler?
Denise: Sou uma comunicadora e escrever é o que me dá mais prazer. Contar histórias, criar projetos que se transformem em ações de resultado! É o que eu faço todos os dias, sete dias por semana: Comunicação. E é o que alimenta a minha alma!!! Minha relação com a Literatura começou muito cedo. Fui apresentada aos livros pela minha mãe, que me alfabetizou antes mesmo de ir para a escola. Depois, esse amor cresceu na sala de aula, com algumas professoras, a quem eu dedico essa minha indicação. Quero fazê-lo na pessoa de Maruska Kirsch Viegas, minha professora do primeiro ano primário. Gosto de vários tipos de leitura. Sou curiosa nata, como todo jornalista, e me interesso especialmente por livros que contam histórias reais, biografias, relatos de viagens (que também são uma paixão)…  Amo contos (especialmente os de Martha Medeiros – ela traz histórias do cotidiano, que nos fazem pensar na vida e o que fazer com ela). Também curto alguns romances (como os da Letícia Wierzchowski).  Leio muitos livros ligados à profissão, especialmente sobre marketing, empreendedorismo e construção de marcas. Gosto de aprender sempre e cada página de um livro é como se fosse um passo a mais nessa jornada.

Drops:  Para você, qual é a importância das feiras do livro e, de modo especial, a Feira do Livro de Igrejinha?
Denise: A Feira do Livro de Igrejinha é muito mais do que um evento, é algo que faz parte da vida cultural da cidade. Chegar à vigésima edição com tanta propriedade, mostra o quanto nós temos sede de conhecer novas culturas, novas histórias. Sede de aprender e evoluir. É uma parte importante da nossa história, que contribui para fazer de Igrejinha uma cidade tão diferenciada!

Drops: Quem te conhece sabe que o tema da Feira desse ano “Leitura, solidariedade e voluntariado” tem muito a ver contigo. O que representa para você essas três palavras? E como você percebe a união delas para a sociedade?
Denise: Eu considero Igrejinha uma referência de voluntariado e solidariedade para o mundo! E tenho o maior orgulho de ver o quanto a cidade se desenvolveu em torno do tema. Tive oportunidade de estudar a nossa história e percebi muito forte esse sentimento desde muito cedo, com a comunidade se unindo e trabalhando pelos mesmos ideais. Os que vieram antes de nós devem estar orgulhosos da continuidade que damos a esse propósito e do quanto seguimos alimentando essa ideia. A Oktoberfest de Igrejinha é o maior exemplo da integração dessas propostas, unindo cultura, solidariedade e voluntariado, não apenas da nossa cidade, mas de toda a região.

Drops: Como você espera que seja essa Feira do Livro?
Denise: Espero que possamos despertar, cada vez mais, nos nossos jovens, nas crianças e em todos os nossos cidadãos, a semente da cultura e do engajamento social, para seguir construindo uma comunidade que vive pelo propósito da união e do bem de todos, como viemos fazendo!

Drops: Que recado deixa aos jovens leitores, como um convite para que prestigiem a Feira e que tenham esse habito pela leitura?
Denise: Eu peço licença à escritora que eu mais li até hoje, Martha Medeiros, para inspirar esta resposta. “Ler civiliza”. Muitas vezes as pessoas afirmam que ler é difícil, é chato, que dá sono… Dessa forma, elas atrofiam suas ideias e alimentam seus preconceitos, sem imaginar o quanto a leitura pode libertar e dar a oportunidade de enxergar o mundo e a vida de forma muito mais ampla. O meu recado é de que os jovens se permitam iniciar a leitura (de livros físicos ou digitais). Que busquem um assunto que amam, para se inspirar. Depois de experimentar a liberdade e o prazer que é viajar pela leitura – por diferentes universos, lugares, histórias… é difícil deixar de fazê-lo.

Dicas de livros de Denise Pomje:

  • Adorável heroína, Michael Hingson (uma história sensacional!!!)
  • O meu melhor, Martha Medeiros
  • Minha História, Michelle Obama
  • Mar sem fim, Amir Klink
  • Estrelas fritas com açúcar, Letícia Wierzchowski
  • Qual é a tua obra, Mario Sergio Cortella
  • Não conta lá em casa, André Fran

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s