Festival Internacional de Cinema da Fronteira anunciou na noite de 19 de dezembro os vencedores de sua 12ª edição. Entre os destaques estão os longas “Mateína – A Erva Perdida”, que levou melhor filme e ator, e “A Nuvem Rosa” que recebeu as estatuetas de melhor direção e atriz; e o curta “O Que Pode um Corpo?”, que venceu os prêmios de melhor filme e do júri popular. As grandes atrações do encerramento foram a apresentação dos Alabês de Bagé, com cânticos para os orixás, e o espetáculo La Vie en Rose protagonizado pela drag bajeense Saturna Queen.

“Um festival de renascimento e luz: a celebração da diversidade e do afeto em comunhão”, avalia o cineasta Zeca Brito, que dividiu a direção artística e curadoria de longas com Frederico Ruas. “A atração se reinventa alicerçada em seus valores. A semente de uma ideia que sobreviveu  tempestades e sombras e que mostra que a cultura e a arte jamais serão silenciadas, conclui.

O homenageado deste ano foi o jornalista e crítico de cinema Roger Lerina. A seleção reuniu oito longas e mais de 30 curtas projetados no Salão de Atos da Urcamp e Centro Histórico Vila de Santa Thereza. O evento foi uma realização da Associação Pró Santa Thereza e Centro Universitário da Região da Campanha (Urcamp), com promoção da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura de Bagé.

Mostra de Longas-metragens

  • Melhor Filme: “Mateína – A Erva Perdida”
  • Prêmio Especial do Júri: “Máquina do Desejo – 60 Anos de Teatro Oficina”
  • Melhor Direção: Iuli Gerbase, por “A Nuvem Rosa”
  • Mehor Ator: Diego Licio, por “Mateína – A Erva Perdida”
  • Melhor Atriz: Renata de Lélis, por “A Nuvem Rosa”
  • Melhor Fotografia: Mirian Fichtner, por “Cavalo de Santo”
  • Melhor Montagem: Nara Hailer, por “Bravos Valentes – Vaqueiros do Brasil”
  • Prêmio do Júri Popular: “De Olhos Abertos”

Mostra Internacional de Curtas-metragens

  • Melhor Filme: “O Que Pode um Corpo?” (Brasil)
  • Prêmio do Júri Popular: “O Que Pode um Corpo?” (Brasil)
  • Prêmio Especial do Júri: “Cinco Histórias ou Mais” (Brasil) e “Too Big Drawing” (Bielorussia)

Mostra Regional

  • Melhor Filme: “Dolores”
  • Melhor Direção: Juan Quintáns, por “O Gaiteiro que Desceu da Caravela”
  • Melhor Roteiro: João Portela, por “Não Sabem Morrer”
  • Melhor Ator: Gladimir Aguzzi, por “Dolores”
  • Melhor Atriz: Maria Rita Dias, por “Maria”
  • Prêmio do Júri Popular: “Fogueira no Pátio”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s