Desistir: fracasso ou ato de coragem?

Você já pensou em desistir de um projeto na sua vida? Mudar de área profissional? Mudar de cidade? Traçar novos objetivos? Fazer um ajuste de rota? Imagino que sim. Então, me acompanhe nessa reflexão de hoje e depois me dá teu feedback.

Como soa para você essa frase? “Normalizem trocar de área profissional aos 35. Ir atrás dos seus sonhos aos 43. Achar um grande amor ao 60. A vida não tem que estar toda resolvida antes dos 30. Quase nunca está.” Autor desconhecido. 

Esta frase produziu tanto eco em mim que decidi compartilhar por aqui também. Não há um tempo certo para as coisas! Talvez o script que você criou para a sua vida, necessite de algum pequeno ou grande ajuste! E, está tudo bem, mesmo que não pareça, à primeira vista! Mudar é do ser humano. Já não somos mais os mesmos de quando tínhamos 20. Portanto, é natural que os objetivos também mudem. As experiências de vida vão nos transformando, se estivermos abertos a aprender algo com elas. 

Escolher um novo caminho implica em desistir de outro e esta costuma ser a parte mais dolorosa.  Uma das coisas que atrapalha as tomadas de decisões e os processos de mudança é que, na nossa cultura, o ato de desistir costuma estar associado ao fracasso, como se fossem sinônimos. Ou seja, se você desistiu, logo, fracassou, não foi persistente o bastante. Espero que essa reflexão também te ajude a não concordar mais com isso: desistir não significa fracassar. Desistir é um ato de coragem.

A persistência é de fato uma grande virtude. Eu admiro e aprecio e a tenho muito presente na minha vida, porém percebo que às vezes passo um pouco do ponto. Você também faz isso? Ao mesmo tempo que a persistência pode nos ajudar, ela pode ser uma faca de dois gumes. Nem sempre é saudável, ser muito persistente. Prestar mais atenção, refletir e tomar consciência, pode ajudar a identificar o seu limite. Persistir até um certo ponto e desistir quando for necessário. Você é a única pessoa que sabe se é hora de persistir ou desistir. 

A reflexão de hoje vale para todas as áreas da nossa vida! A seguir, vou me deter a trazer o foco para a temática ‘carreira’ que é minha especialidade e onde acredito que possa contribuir.

Já acompanhei muitas pessoas em processos de transição de carreira que chegaram ao limite do esgotamento ‘burnout’. Teve que se instaurar o caos – o adoecimento – para que a mudança acontecesse. O ideal seria não chegar nesse estágio, mas por vezes é preciso. É muito importante não sofrer sozinho, pedir ajuda!

Uma outra coisa que acontece muito para quem está insatisfeito na área profissional: sei que não quero mais x coisa na minha vida, mas não sei o quero no lugar disso. Este é um ponto bem crucial. O fato de não saber o que busca, sentir-se confuso, pode lhe deixar estagnado, o que é muito arriscado. Exemplo de pensamentos próprios desse momento: “não sei o que busco, então fico aqui por mais um tempo…” e nisso, a vida vai passando. Às vezes o universo dá uma forcinha impulsionando a mudança quando ‘você é demitido’, ‘vem a pandemia’… mas não melhor não esperar pelo contexto externo. Se está insatisfeito, algo pode ser feito para mudar.

Temos um grande exemplo recente difundido amplamente durante as Olimpíadas: 

A atleta americana Simone Biles era uma das favoritas em Tókio e num dado momento da competição, surpreendeu a todos quando desistiu de seguir em algumas provas da ginástica, priorizando sua saúde mental. Simone colocou em pauta no cenário mundial a importância e necessidade do bem-estar, se colocando em primeiro lugar como pessoa, antes de ser atleta. 

Que gesto relevante o da Simone Biles, não é?! Ela nos mostrou que ‘desistir também é um ato de coragem’. É inspirador ver as pessoas fazendo escolhas mais saudáveis para as suas vidas, não é?! Mas parece que quando é com a gente é um pouco mais difícil. Torço muito para que a gente possa aprender com ela sobre a importância do autocuidado em todas as esferas da nossa vida.

Foto: Mike Blake/REUTERS

Não tenha medo de mudar de rota, recomeçar. Você não parte do zero. A bagagem anterior que você construiu já te coloca em outro lugar. Não espere passar 5 anos para uma mudança, porque é provável que lá na frente você se pergunte: “por que não fiz isso há 5 anos atrás?” Sempre é tempo e, com ajuda, fica mais fácil!

Caso queira contar com a minha ajuda profissional, estou aqui. Na consultoria Carreiras Karnal & Linden (acompanhe no Instagram e Facebook) eu e meu sócio César fazemos um trabalho muito sério e empático, para tornar mais fácil mudanças que você queira e precise fazer para se sentir melhor. Pensar na carreira vai ter um impacto direto sobre a sua vida como um todo. 

Encerro a reflexão de hoje com a frase a seguir sobre decisões:

Quando a vida lhe cobrar uma grande decisão, escute um conselho amigo, aceite uma opinião, mas antes de decidir, decida também ouvir a voz do seu coração. Trecho da poesia ‘Sua voz’ de Bráulio Bessa no livro ‘Um carinho na alma’.

Paz e bem na sua vida! Grande abraço, Lu Linden

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s