Planejar a carreira: será que esse é um bom momento para isto?

Há quem diga que no cenário atual é melhor não olhar para frente e traçar planos, pois há um risco real da frustração. Entendo, pois a incerteza do momento cria em nós receios de projetar o futuro. Porém eu vejo que não é a melhor saída. Caminhos extremos geralmente são mais arriscados. Não deve ser 8 ou 80, pode ter um meio termo.

Planejar pode ser muito bom, pois é uma maneira de pensar no futuro e depositar esperança, é criar motivos que nos mobilizam a agir. Alice, no país das maravilhas, já dizia ‘se você não sabe para onde vai, qualquer caminho serve’.

Estamos inseridos em um mundo VUCA – Volatility (volátil) Unicertainty (Incerto) Complexity (complexo) Ambiguity (ambíguo). Isso quer dizer que não são necessários planos? Não! Os planos devem continuar sendo criados, SIM. O detalhe é que não devem ser tão estáticos, devem ser revisados com mais frequência e ajustados quando necessários. Podemos utilizar o exemplo de um GPS: mesmo que a rota ao destino esteja traçada, não quer dizer que ela precise ser seguida a risca e não possa ser alterada. Ao longo do caminho podemos mudar de ideia, decidir ir para outro lugar ou mesmo parar um pouco e reavaliar. Ir mais devagar ou se apressar um pouco. O ritmo depende das variáveis envolvidas, dos fatores externos e internos. Externo: caracteriza-se pelo contexto. Se estamos em meio a uma tempestade ou neblina forte/pandemia, o recomendado é reduzir o ritmo ou até mesmo parar um pouco. Além disso, os fatores internos também ditam o ritmo: se você está nervoso ou inseguro porque é uma estrada que desconhece, também se recomenda ir mais devagar. Segundo Edson Marques “A direção é mais importante que a velocidade”.

O erro não está em planejar, mas em planejar a curtíssimo prazo sem dar uma margem de segurança. Planejar coisas que queremos para nossa carreira e vida, com um prazo viável, é muito recomendável. Para além disso, o ideal é somar um planejamento ao inusitado (a surpresa) e dar espaço para as duas coisas, pois elas se complementam.

Então planejar resolve tudo? Quero te contar uma história para te explicar isso: imagine uma pessoa num barco com dois remos. O remo da direita é o ‘planejamento’ – se você utilizar apenas ele, vai dar voltas em si mesmo, sem sair do lugar; Já o remo da esquerda é a ‘ação’ – se você utilizar apenas ela, também dará voltas em si mesmo sem sair do lugar. O segredo está em utilizar os dois remos – são elementos fundamentais que precisam ser utilizados de maneira combinada. Não posso só planejar, nem só agir. Olhar para frente e imaginar um lugar que queremos chegar é motivador. Confira esta história em vídeo:

Neste momento é muito importante olhar e viver o momento presente (já falei sobre isso aqui) sem deixar de olhar para o futuro. Trace planos, revise-os com frequência e desenvolva ações para alcançar os objetivos que almeja.

Me conta uma coisa: Ficou clara a importância de um planejamento mesmo diante de um mundo VUCA? Você tem planejado? Planejar te motiva?

Paz e Bem na sua vida! Forte abraço Lu Linden *Me acompanhe nas redes sociais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s