O que a escalada tem a ensinar sobre ascender na carreira?

Vou contar um pouco sobre a minha experiência com a escalada, fazer uma associação com a temática ‘carreira’ e trazer alguns insights. Você não precisa ser um(a) escalador(a) para entender, mas se quiser iniciar nesse esporte vou ter o maior prazer de te dar algumas dicas também. Aqui vou me ater a falar da minha especialidade ‘orientação de carreira’, em que atuo há 12 anos. Na escalada estou apenas começando.

Um ponto importante que trago para contextualizar é que tive uma criação bastante cuidadosa, especialmente por parte da minha mãe. Ela não queria que eu me machucasse ao subir numa árvore, subir numa pedra, entrar no mar. Ela temia que eu corresse algum risco de vida (Ps. não sei se você viveu algo parecido, então pode ser que se identifique). Logo, eu me tornei uma pessoa extremamente cuidadosa, o que me trouxe coisas boas e outras nem tanto. O cuidado pode estar atrelado ao medo e ele protege, mas se for em excesso, costuma não fazer tão bem levando a uma paralisação. Amo minha mãe (in memorian) infinitamente e sou grata por ter aprendido a ter cautela na vida, em todas as minhas ações. Mas entendi ao longo das minhas experiências que esta cautela demasiada traz consigo limitações, o que me travou em alguns momentos e me fez demorar um pouco mais para dar alguns passos. O que me ajudou a não paralisar é o fato de que sempre gostei muito de me desenvolver, evoluir, criar oportunidades com perspectivas de futuro e, para isso, me lancei em diversos desafios. Precisei arriscar mais e posso dizer que, sou mais feliz por me abrir a essas novas possibilidades.

Há tempos atrás eu não me imaginaria escalando. Mas foi o fato de abrir-me para novas experiências, que me fez querer conhecer o universo da escalada.

Faz pouco que descobri à aventureira que existe dentro de mim – ela estava ali muito tímida (encolhidinha), mas agora dei espaço para ela se permitir. Como o segredo está no equilíbrio – o que se faz muito presente na escalada e também na carreira, claro que a cautela vai seguir comigo (porque faz parte de quem eu sou) e me ajuda a dosar os riscos.

Dada a introdução agora vou te contar como é escalar e o que a escalada tem a ensinar sobre desenvolvimento de carreira. Eu amei começar a viver a experiência da escalada – é agradável a conexão maior com a natureza e a sensação de superação. Escalar pra mim significa subir, ascender, ir para o alto, buscar o cume em parceria. O que buscamos para a carreira é justamente isso, evoluir, crescer, chegar mais longe e mais alto.  Se for com segurança, é muito melhor! Confira os principais insights a seguir:

O que aprendiNa montanhaNa carreira
A escolha da via e o momentoSaiba para onde vai, qual a montanha e a via de subida. Cada via tem um grau de dificuldade. Há o momento em que a face da pedra está no sol e isto pode tornar a escalada mais desafiadora. Verificar as condições climáticas também é fundamental.Defina para onde vai (meta) e estabeleça uma estratégia para chegar lá. Sabendo a direção encontrarás o ‘como’ chegar, o momento mais propício e as condições das quais precisa.
Carregue a sua mochilaIdentifique o equipamento necessário e carregue a sua própria mochila. A jornada começa antes da escalada, na trilha antes de chegar na pedra. Leve apenas o necessário e tente deixar a mochila o mais leve possível.Só você poderá reunir o arsenal necessário para alcançar seu objetivo de carreira. Identifique quais pré-requisitos (cursos e experiências) necessários. Isto é sua responsabilidade, pois ninguém poderá fazer por você. Quanto mais leve o caminho, mais fluído.
As agarras, enfiadas e as paradasConcentre-se em cada etapa, suba por etapas. Não deixe o tamanho da montanha te assustar. Concentre-se em cada agarra, onde vai colocar o pé e a mão. Lembre-se que depois de uma enfiada, há o momento da parada e descanso. Depois você vai para a próxima, até chegar ao cume.                     Concentre-se em cada etapa. Não há como dar vários passos de uma única vez. Faça o melhor que pode em cada momento. Dê o melhor de si em momentos cruciais, depois relaxe um pouco, reúna mais energia e siga mais uma vez em frente. Há momentos de maior necessidade de intensidade e outros de descanso para reunir forças para a próxima etapa.
Suba o pé e amplie as perspectivasQuando você está parado(a) na parede da montanha pode não visualizar as agarras – o cenário pode parecer mais difícil do que ele realmente é. À medida que ‘sobe o pé’ as perspectivas podem mudar. O cenário muda e possivelmente irá encontrar agarras mais seguras e pontos de descanso, meios de seguir subindo gradativamente.

 
O cenário pode mudar à medida que você se movimenta. O segredo está em não ficar parado(a). Num primeiro momento pode não estar encontrando uma solução, porém ao seguir se movimentando, as perspectivas podem se ampliar e novas ideias vão surgir para seguir em frente.
Troque uma ideia com quem já esteve naquela viaAconselhe-se com os mais experientes sobre a via. Ter detalhes sobre a distância entre as proteções onde serão colocados os mosquetões, saber se há travessias, necessidade de malha, grau de dificuldade, tipo de pedra – ter informações é fundamental.Ter um mentor por perto, alguém que já conhece o percurso para dar uma dica certamente vai facilitar o processo. Pergunte para pessoas da área que almejas como fizeram para chegar lá.  
Coragem e confiançaMesmo que pareça difícil, lembre-se que se você tem as informações necessárias, sabe o que está fazendo e tem o equipamento que precisa, só precisa acreditar que é capaz e tentar.Acredite em você e na sua capacidade. Precisa dar o primeiro passo, iniciar o desafio para que possa chegar onde almeja.
Double check e parceriaAo escalar em dupla, um escalador toma a frente (guia) e o outro fica na retaguarda (dá a segue). Para eliminar os erros, mm checa o equipamento do outro fazendo uma dupla verificação para que se tenha o ‘double check’, a fim de ter mais segurança. Além das funções técnicas também é muito bom contar com a parceria de um amigo, ou do seu amor.Colaboração é essencial. Ter uma rede de apoio, alguém que te acompanha no caminho da sua carreira, pode ser muito importante. Você pode ter um bom gestor, colegas bacanas e, também um orientador de carreira para te ajudar.
Não conte com a sorteRevise o equipamento, as condições climáticas e construa uma boa parceria.Crie as oportunidades e aproveite elas. Esteja preparado e não conte com a sorte.
O cruxUm crux na escalada é a seção mais difícil de uma via, ou o lugar onde existe o maior perigo.Este é o momento mais desafiador e que exige maior atenção e esforço extra. Sempre haverá ‘crux’ no caminho. Depois que passar por ele, as coisas passam a parecer mais fáceis.
 A chegada ao topo No cume da montanha costuma ter um livro para que as pessoas que chegam possam fazer um registro para celebrar a conquista – as mensagens costumam ser de gratidão e alegria pela chegada. Comemore, se reconheça e agradeça. Cada passo que você dá na sua carreira merece ser celebrado. Tenha uma conquista, aproveite as glórias, depois parta para o próximo desafio – ‘cume’.
A volta pra casaDepois de chegar ao cume, tem o caminho de volta para casa. Geralmente é preciso fazer um rapel para voltar em segurança para casa.Nosso trabalho é super importante para alcançarmos nossos objetivos de vida/ eu acredito que podemos cumprir nossa missão – mas depois dele – ir para casa também é especial demais. Valorize a volta pra casa e cuide também da sua vida pessoal e familiar. Ter as diversas áreas da vida atendidas faz com que tenhamos uma vida muito melhor.

Eu encontrei diversas associações entre escalada e carreira. Espero que tenha sido legal para você conhecer um pouco mais desse esporte fascinante e aprender mais sobre o que ele tem a nos ajudar na compreensão sobre carreira. Vou adorar receber teu feedback e sugestões de assuntos relacionados a carreira que quer ver por aqui.

Qual o insight você teve com esse texto e que pode levar para a sua carreira/vida?

Se você não sabe bem o que fazer na sua carreira e sente que precisa de alguma ajuda, estou aqui. Esta é a minha especialidade! Siga a gente no @carreiraskarnalelinden

Obs: Aproveito aqui para fazer um agradecimento público a quem me introduziu nesse universo – meu amor Luis Fernando Guerrero Gracia (Tiscão). Também agradeço aos amigos de escalada Dani, Júlio e Fernando.

2 comentários

  1. Lu, amei essa relação que fizeste! Eu sou apaixonada por fazer trilha e quando estou muito cansada, achando que não vou mais aguentar, foco apenas onde devo dar o próximo passo e de passo em passo chego no final. Ou seja, “me concentro em cada etapa”, como tu tão lindamente escreveste. Muito obrigada!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s