Oportunidade: Vale do Paranhana é apontado como região com potencial turístico ainda pouco explorada

O turismo no Vale do Paranhana cada vez mais desponta como um possível e promissor destino turístico no Estado. A região é uma das opções para fugir do tradicional e buscar o inusitado pode ser o ingrediente perfeito para quem busca lazer e descanso. O destaque vem do Projeto Viva o RS, plataforma que está auxiliando viajantes gaúchos a encontrarem o destino certo para vivenciarem novas experiências. Assinada pelo Sebrae RS e pela Setur, o www.vivaors.com.br reúne mais de 150 opções de atrações entre passeios e roteiros, segmentando alternativas que melhor atendam às necessidades e expectativas de cada público.

Turismo em pleno desenvolvimento

Basta perguntar para qualquer pessoa e imediatamente há a indicação de duas ou três opções tradicionais que veem à mente quando considerando as opções que o RS oferece. A coordenadora dos projetos de Turismo e Economia Criativa do Sebrae RS, Amanda Paim, aponta cinco exemplos de regiões e roteiros que podem ser uma boa pedida para sair do óbvio e conhecer melhor o turismo gaúcho. Conheça as opções:

1.    Pampa Gaúcho

A lida no campo dá a tônica das atrações da região que, entre outros municípios, reúne três capitais Farroupilha consideradas patrimônio histórico do RS: Piratini, Caçapava do Sul e Alegrete, palcos de muitas memórias e revoluções. Atrações e roteiros sugeridos: Pôr do Sol e o Luar do Pampa: gastronomia, vinhos e azeites

2.    Rota das Terras Encantadas

Influência indígena, açoriana, africana e europeia dividem espaço em uma localidade marcada pela agricultura como matriz econômica. Cidades como Selbach, Não-Me-Toque, Boa Vista do Cadeado e Lagoa dos Três Cantos escondem por trás de sua inusitada nomenclatura, oportunidades para quem quer descobrir novas alternativas. Atrações e roteiros sugeridos: Piquenique nas Pitaias e Viaje de Carro

3.    Missões

Ruínas a serem vislumbradas a céu aberto, acervos em museu e um conjunto arquitetônico que não cansam de chamar a atenção podem ser explorados em municípios como Giruá, Bossoroca, Porto Xavier e São Nicolau, entre outros. Atrações e roteiros sugeridos: Café de Cambona e Missões – uma experiência de fé, espiritualidade e cultura

4.    Termas e Lagos

O Norte do Estado, terra de municípios menos badalados que Erechim, como Marcelino Ramos, Quatro Irmãos, Três Arroios, Áurea e Centenário, escondem recursos hídricos que oferecem experiências de bem-estar e saúde especiais. Atrações e roteiros sugeridos: Cascata dos Jacobis e roteiro Getúlio Vargas: Fé, Cultura e Tradição

5.    Vale do Paranhana

Municípios como Igrejinha, Parobé, Taquara, Riozinho, Rolante e Três Coroas reservam experiências ao ar livre que apostam desde calmaria, bem-estar e autoconhecimento até o turismo de aventura em meio a rica paisagem da Mata Atlântica. Atrações e roteiros sugeridos: Pacotes de rafting e visitas às cascatas.

Diversidade de opções e públicos

Frente a um cenário de retomada das atividades no chamado “novo normal”, ser assertivo é essencial para quem busca otimizar a experiência de viajar.  Para melhor orientar os usuários, a plataforma do Viva o RS segmenta a busca considerando os diferentes tipos de experiência ofertadas – como espiritual/terapêutica, ao ar livre, gastronômica, urbana, cultura, esportiva/radical nas 27 regiões turísticas apresentando o melhor do turismo no Estado.

Há ainda a possibilidade de uma filtragem para os diferentes tipos de públicos, como casais sem filhos, casais com crianças pequenas, programas individuais, para a família toda ou para grupos de amigos.  A ferramenta já contabiliza mais de 9,5 mil usuários, 37 mil acessos para conhecer roteiros e passeios e 1.600 intenções de compras.

“É um ambiente que conecta quem vende produtos e serviços de turismo com quem quer fazer turismo. Se antes era difícil obter informações, agora estão reunidas em um só lugar e com o diferencial de ter uma curadoria. Todas as experiências são selecionadas seguindo um nível de qualidade para fortalecer o turismo no Rio Grande do Sul”, explica Amanda. A especialista lembra que a cadeia produtiva do turismo abrange diversas atividades, gerando benefícios para a economia local através da valorização da produção rural, de agroindústrias, na prestação de serviços e no comércio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s