Segunda etapa do projeto de revitalização da Casa Vidal é aprovada a receber recursos do Pró-Cultura RS-LIC

A segunda etapa do projeto de restauro e revitalização da Casa Vidal entrou em votação na terça-feira, 24, e foi aprovada como prioritária pelo Conselho Estadual de Cultura a receber recursos beneficiados pelo Pró-Cultura/RS – sistema de apoio e fomento às atividades culturais que aplica recursos financeiros em projetos, por meio da Lei de Incentivo – LIC (benefício fiscal aos patrocinadores). “A partir desta aprovação, aguardamos a publicação da aprovação do projeto no DOE (Diário Oficial do Estado) pela equipe Pró-Cultura RS, para na sequência fazer a abertura de uma conta bancária específica para fazer a movimentação dos recursos e iniciar a organização do cronograma de desembolso para os pagamentos destinados à Prefeitura, através da parceria com a Associação do Natal Mágico de Taquara. Também abriremos uma conta bancária específica para captação de recursos e em seguida iniciamos as visitas às empresas que possam patrocinar o projeto para iniciarmos a obra o mais breve possível”, salienta Anderson Miguel Christ, agente administrativo, contábil e financeiro da Patrimonium, empresa responsável pelo projeto. 

Histórico da revitalização da Casa Vidal

Datada de 1882 e considerada patrimônio tombado no âmbito municipal desde 2012, a Casa Vidal é o segundo prédio em alvenaria construído em Taquara e o mais antigo ainda existente na cidade. Em 2020 foi entregue a primeira etapa do projeto de revitalização deste bem cultural que pretende devolver à comunidade um espaço destinado a ações culturais objetivando a melhoria da autoestima dos taquarenses que tem acompanhado o projeto de restauro em execução. 

Na primeira etapa do projeto de revitalização foram investidos R$ 1.206.181,58, sendo 1.048.731,98, da Lei de Incentivo à Cultura (LIC) e R$ 157.449,60, de contrapartida municipal. Esta etapa contou com a realização da Administração Municipal, financiamento do Pró-Cultura RS – LIC, Governo do Estado do Rio Grande Sul, com patrocínio das empresas Usaflex, Calçados Bibi, Pirisa, F. H. Comassetto Materiais de Construção, Embutidos Smaniotto, Frigorífico Santo André e Rede Müller.

Por consequência da Instrução Normativa nº 5/2020 da Secretaria Estadual da Cultura impossibilitando as prefeituras de apresentarem projetos culturais via Lei de Incentivo à Cultura (LIC), para a segunda etapa do projeto, o Município formalizou um termo de parceria com a Associação Natal Mágico de Taquara, visando a participação financeira de R$130.866,00, ou seja o repasse de, no mínimo, 10% do investimento do valor da obra.

O projeto é desenvolvido pela Patrimonium Gestão e Produção Cultural e Forma Arquitetura e tem o valor total estimado em R$ 3,5 milhões, seguindo todo o rigor técnico exigido pelas cartas patrimoniais internacionais, além da readequação dos espaços que serão utilizados para atividades culturais. A segunda etapa conta com a realização da Associação Natal Mágico de Taquara, parceria da Administração Municipal, sendo desenvolvido pela Patrimonium Gestão e Produção Cultural e Forma Arquitetura.

A obra de restauração

A primeira etapa correspondeu ao restauro da parte mais antiga – que tem traços de enxaimel, substituição da cobertura e a construção da nova edificação com banheiros e salas com cobertura em telhado verde.

Na fachada da parte mais antiga da edificação foi retirado todo o reboco e executado reboco novo de cal e areia e executados reforços estruturais com atirantamento da parede principal que estava ruindo, reforço das fundações, nova estrutura da cobertura, e a cobertura com sub telhado e telhas cerâmicas tipo francesa.

Na parte dos fundos, foram escavadas as fundações e ajustado o nível, foi feita a fundação nova, alvenarias, vigas e laje de cobertura. Também foram colocadas novas calhas, algerozes e cabeamentos. Foram reconstituídos vãos das portas e janelas da parte dos fundos e na fachada da rua Edmundo Saft.

Para a segunda etapa estão previstos a execução de cobertura da parte principal do prédio, estruturas para o elevador e estruturas internas.

Casa Vidal será destinada a ações culturais

Com o projeto, pretende-se dar continuidade à execução física que permitirá a instalação do Museu Municipal; a criação do Arquivo Municipal que até o momento não existe como espaço físico, embora já esteja criado com o nome de Maria Eunice Muller Kautzmann, importante pesquisadora que faleceu em 2014 e deixou em vida o seu acervo particular para a Casa Vidal; Biblioteca Municipal, inclusive a Biblioteca Infantil; sala ampla para oficinas culturais no segmento das artes cênicas; sala de educação patrimonial; salas para exposição museológica de longa e curta duração; equipamentos e salas de apoio para o adequado funcionamento do Museu e Arquivo Histórico: sala de higienização, sala de triagem, sala de reserva técnica e sala de pesquisa. Uma sala multiuso também faz parte do projeto visando promover atividades multidisciplinares de forma contínua, assim como adequar o espaço físico, respeitando as normas de acessibilidade.

*Foto de Capa: Magda Rabie

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s