Com exibição de documentários gaúchos, 1º Festival POADOC começa nesta quarta-feira

Que o universo on-line ganhou espaço na Pandemia, não há como negar. Com ele, está sendo possível que a arte seja mais democrática, chegando até mais pessoas através do virtual. Uma iniciativa que busca promover a produção cinematográfica de documentários produzidos no RS surge desta forma. Assim, de 14 a 18 de outubro acontece pela internet a primeira edição do POADOCFestival de Documentários de Porto Alegre. O evento exibirá gratuitamente uma seleção de 12 documentários gaúchos, produzidos entre 2000 e 2020. A programação inclui longas e curtas aclamados por público e crítica e filmes escolares com temas ligados à representatividade. O evento – primeiro do gênero realizado na Capital gaúcha – também apresentará lives com os realizadores. A programação poderá ser assistida no site poadoc.com.br.

A mostra é dividida em quatro programas que ficarão disponíveis por 24 horas, a partir das 20h até às 20h do dia seguinte. No mesmo horário serão transmitidos os debates virtuais. Cada programa inclui um longa, um curta e um filme escolar. Os filmes de abertura, exibidos de 14 a 15 de outubro, são “Mokoi Tekoá Petei Jeguatá – Duas Aldeias, uma Caminhada” (2008), de Germano Benites, Ariel Ortega e Jorge Morinico, “Antes de Lembrar” (2018), de Vinícius Lopes e Luciana Mazeto, e “Massacre dos Porongos” (2017), produção escolar coletiva.

“Morro do Céu” (2009), de Gustavo Spolidoro, “A Invenção da infância” (2000), de Liliana Sulzbach, e “Contigo Ninguém Acaba” (2018), produzido por estudantes, serão exibidos de 15 a 16. “Cidades Fantasmas” (2017), de Tyrell Spencer, “O Céu da Pandemia” (2020), de Marina Kerber e o coletivo “Dona Bugra, a Periferia Grita” (2018) passam de 16 a 17. Por fim, “O Caso do Homem Errado” (2017), de Camila de Moraes, “Construção” (2020), de Leonardo da Rosa, e o escolar “Respeito às Diferenças” (2017) são os títulos dos dias 17 e 18 de outubro.

“A curadoria teve como foco mostrar a diversidade de olhares. É por isso também que os debates juntam todos os realizadores, sem diferenciar longas, curtas e filmes escolares”, explica a cineasta Thais Fernandes, que integra o grupo de idealizadores do festival. “A ideia é fomentar um debate horizontal desde a nossa primeira edição”, conclui. Também fazem parte da organização do evento: Livia Pasqual, Natasha Ferla, Juliana Costa, Henrique Lahude e Jonatas Rubert. O financiamento é do edital da Secretaria de Estado da Cultura, FAC Digital.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s