Quando você se identifica com seus pensamentos, passa a ser quem você não é

Você já deve ter ouvido ou lido a frase “você não é os seus pensamentos”. Não sei pra você, mas pra mim sempre foi complicado entender isso, afinal de contas os pensamentos surgem na minha cabeça, estão aqui, dentro. Então, como não se identificar com eles, já que fazem parte de mim?

Os nossos pensamentos são automáticos, espontâneos, simplesmente fluem em nossa mente, sem que a gente perceba ou tenha qualquer avaliação crítica. Os acontecimentos do nosso dia fazem com que os pensamentos saltem, um atrás do outro. Um pensamento gera outro pensamento, que gera outro pensamento e assim, sucessivamente, vão aparecendo de forma verbal ou através de imagens. E ainda, cada pensamento gera uma emoção, por isso estão diretamente relacionados ao nosso humor.

Alguns estudos indicam que os seres humanos são capazes de ter cerca de 70 mil pensamentos por dia. A geração de todo esse conteúdo estaria dividida em aproximadamente 3 mil pensamentos por hora, 50 pensamentos por minuto. Isso significa que um pensamento automático gera outros vários pensamentos simultâneos e igualmente rápidos e mais um tanto de sentimentos e emoções.

Eles surgem assim, automáticos, porque estão ligados às nossas crenças, aquilo que um dia alguém nos disse e que tomamos como verdade, coisas que a sociedade diz que é de determinado jeito e nós aceitamos, sem questionar. Por isso nos identificamos com o que pensamos e temos a sensação de que somos os nossos pensamentos. Mas não, nós não somos os nossos pensamentos.

Nós somos muito mais do que nos disseram que somos ou que até nós mesmos pensamos ser, porque o que nós pensamos vem de coisas que ouvimos e que acabamos nos identificando. Essa identificação com os pensamentos é o que nos faz sofrer. Reflita, quantas coisas já ouvimos sobre a maternidade? Sobre como uma mãe deveria ser, agir ou fazer. Acabamos nos identificando com o que é dito, mas não necessariamente somos isso ou queremos ser, mas foi dito e a nossa mente toma como verdade e nos causa dor.

Por muito tempo eu tentei ser e fazer coisas que não são naturais minhas, que eu mesma não acreditava que deveria ser assim, mas porque alguém próximo disse que uma boa mãe era assim, eu acabei me identificando e replicando, mesmo me fazendo infeliz. Como é com você? Você vem fazendo coisas que sua mente tomou como verdade da sociedade? Já identificou pensamentos que falam mais daquilo que as pessoas acreditam do que o que você realmente acredita?

Aqui está um dos grandes segredos para vivermos uma vida mais leve e transformar nossa maternidade: se desidentificar dos seus pensamentos e do que outros falam. Começar a questionar os nossos pensamentos e não “dar corda” para eles, não deixar que nos levem para um lugar de vibração baixa. Quando você identifica um pensamento, é importante olhar para ele, deixar fluir através de você e não gerar mais pensamentos relacionados, não alimentar. Assim mesmo, aceitar que ele existe, mas que você não é esse pensamento. É simplesmente um pensamento e você tem poder sobre ele e não ele sobre você.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s