A responsabilidade é minha ou dos outros?

*Arquivo de Silvana Forster

Por muito tempo fui uma pessoa insatisfeita com a vida, nada estava bom, queria que tudo fosse diferente do que é. Isso me deixava triste, amarga, vitimista, reclamona, insuportável, às vezes nem eu mesma me aguentava. Reclamava de tudo e culpava a todos pelo que acontecia comigo.

Foi assim por muito tempo, até que comecei a ler sobre autoconhecimento, cura da criança interior, autocompaixão. Fiz uma grande caminhada dentro de mim, com muitas descobertas, algumas assustam, umas surpreendem, outras libertam e tem as que doem, é preciso estar preparado.

Serious determined girl showing stop sign

De onde vinha minha insatisfação? Quando comecei a fazer as coisas para agradar aos outros? Inconscientemente decidia o que todos queriam que eu decidisse, o que gerava a sensação de que eles eram culpados por minha vida não ser como eu gostaria. Decidir de acordo com a vontade e opinião dos outros, também me isentava da culpa de arcar com as consequências. Uma ilusão, porque ao final das contas eu era a prejudicada, mas ainda assim poderia culpar alguém.

Em um primeiro momento você fica assim, com raiva, culpando ainda mais a todos, porque percebe que realmente fazia porque eles decidiam e você tinha medo do que as suas decisões poderiam gerar. Depois, você descobre que a responsabilidade é sua, mesmo por fazer o que os outros queriam que você fizesse, e isso é libertador! Então é preciso aceitar que você está no lugar certo, com as pessoas certas e necessárias para seu aprimoramento. Deus não erra o endereço. Aceita também, que o que foi, foi, mas que daqui pra frente você já vai estar consciente disso e, quando se pegar em um momento decidindo fazer da sua vida o que os outros querem que você faça dela, você se conecta a si mesmo e faz o que acredita ser melhor.

Coluna Silvana - 20.04.20

Então o próximo passo é pedir perdão, aos outros e a você mesmo, em pensamento e oração, caso essa seja a forma possível nesse momento. Também perdoar, aos outros e a si mesmo. Porque você fez o que estava ao seu alcance, com as ferramentas que tinha e o que pensava ser certo. Mas agora você tem mais! Mais autoconhecimento, mais consciência, mais ferramentas.

Praticar a gratidão é essencial, em qualquer que seja o seu processo. Porque não são as pessoas felizes que são gratas, são as pessoas gratas que são felizes!

*Conteúdo produzido por Silvana Forster, mãe do Matteo e do Tomás, esposa do Samuel, publicitária como primeira formação e mãe por atuação. Coach de Família, com seus artigos e atendimentos busca levar mais clareza às necessidades de cada integrante da família, ressignificar acontecimentos, melhorar a comunicação entre pais e filhos e ajudar a gerar um ambiente de paz, amor, aconchego, carinho, diálogo e harmonia no lar de cada pessoa.
Silvana foi colunista do Drops entre abril de 2019 e julho de 2020.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s