Fimec confirmada: atenta aos casos de Coronavírus, Fenac cria plano de ações extraordinário para o evento

Uma das maiores feiras do setor coureiro-calçadista, a Fimec, entra este ano na sua 44ª edição e, de 10 a 12 de março, será atração e oportunidade de negócios junto aos pavilhões da Fenac, em Novo Hamburgo. Frente à situação mundial do coronavírus, a Fenac, a Secretaria de Saúde de Novo Hamburgo (SMS), Vigilância Sanitária e o médico infectologista Renato Cassol, que está atuando como consultor do evento, criou um plano extraordinário para a feira, visando à saúde de todos colaboradores, visitantes e expositores, além da população do município.

O plano foi traçado em reunião na última sexta-feira, 28, entre Fenac, Secretaria de Saúde e Vigilância Sanitária e se dará através de três etapas: treinamento de todas as equipes que trabalharão no evento; investimentos em adaptação de ambulatório e equipamentos com produtos especiais; conscientização dos expositores e visitantes, com divulgação de informações de prevenção e distribuição de álcool gel para todo o público.

Reunião Fimec 28-02
Reunião para a criação de um plano extraordinário para a Feira

“A Fimec tem 21 horas. Serão 21 horas de limpeza. Aumentamos o número de pessoas trabalhando nesta área e investiremos em equipamentos e produtos para a segurança do público”, ressalta o diretor-presidente da Fenac, Marcio Jung. Ele ainda destaca o perfil do público do evento. “O expositor europeu normalmente tem representante no Brasil e sua ausência não implica na diminuição da qualidade nos estandes, porque as equipes de representantes e funcionários brasileiros destas empresas serão capazes de fazer o atendimento aos seus clientes. O objetivo da Fenac é realizar uma feira exemplar e segura”, enfatiza Jung.

O secretário de saúde, Naasom Luciano, afirma que, além de atuar dentro da feira, a Secretaria elaborará um instrumento com medidas para a rede hoteleira, comércio e restaurantes. “Estamos montando locais de referência na cidade para possíveis atendimentos, além de ter um espaço dentro da Fimec para a conscientização dos expositores e visitantes. O objetivo é a prevenção e o atendimento rápido em caso de necessidade”, pontua.

Veja o que contempla o plano criado especialmente para o evento:

– Adaptações no Ambulatório existente dentro dos pavilhões;
2 – Estande da SMS dentro da feira para orientações e conscientização;
3 – Distribuição de álcool gel para todo o público, além de instalação de dispensadores do produto nas dependências dos pavilhões;
4 – Investimento em máscaras N95/PFF2, em caso de necessidade;
5 – Aumento na equipe de higienização e capacitação deste público pela Vigilância Sanitária;
6 – Higienização intensa em corrimãos, maçanetas, mesas e banheiros;
7 – Disponibilizar todas as medidas tomadas, além de orientações de prevenção no site fimec.com.br;
8 – Promover, através de recursos de áudio, aviso com indicações de prevenção e orientações para o público nos três idiomas;
9 – Reforçar fortemente a conduta dos expositores e visitantes para que não compartilhem objetos pessoais;
10 – Contratação de UTI móvel com médico, enfermeiros e técnicos especialistas;
11 – Reforçar fortemente a conduta de expositores para que não tenham em seus estandes: chimarrão, oferta de alimentos em bandejas (neste caso, os mesmos deverão ser embalados individualmente e lacrados) e, em caso de oferta de bebidas, somente em copos descartáveis e de uso individual;

Reunião Fimec 28-02 (2)
Fenac, Secretaria de Saúde de Novo Hamburgo (SMS), Vigilância Sanitária e o médico infectologista Renato Cassol, em reunião na última sexta-feira, 28.

Pedidos de adiamento

A dúvida quanto a um possível adiamento ou cancelamento desta edição da Fimec surgiu após o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, ter recomendado, em janeiro, a não realização de feiras que tenham pessoas vindas da China. Já Marcio Jung sempre considerou nula a hipótese, a menos que se tenha esta ordem vinda do governo federal ou OMS (Organização Mundial da Saúde). Jung ainda entende que o fato de impedir pessoas de determinado país de viajarem, poderia ser considerada até uma forma de preconceito.

Na última semana, a prefeita de Novo Hamburgo, Fátima Daudt, também havia sugerido o adiamento ou cancelamento desta edição da feira, devido o risco de coronavírus. Ela entende que, com relação à doença, é preciso se precaver de todas as formas.

*Fotos e informações : Divulgação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s