A educação tradicional não funciona mais: porque sentimos isso

Eu já ouvi e você deve ter ouvido também, ou até já disse, frases do tipo “as crianças não são mais as mesmas, não obedecem como antigamente”. Pois é, as crianças realmente não são mais as mesmas, o mundo não é mais o mesmo, os adultos também não são mais os mesmos. Então por que esperamos que o mesmo modo de educar continue funcionando?

Para que aquela educação tradicional que conhecemos volte a funcionar, precisamos voltar a viver como se vivia antes. A sociedade e as pessoas evoluíram, assim a educação precisa evoluir também. A mãe não é mais submissa ao pai, o pai não é mais submisso ao chefe. Então por que esperamos que as crianças continuem sendo submissas se elas não têm mais esse exemplo de submissão dentro de casa? E sei que, se perguntarmos a alguém alguma característica que espera que seu filho tenha quando adulto, ser submisso não estará na lista.

Silhouette of mother with her daughter and bicycle

Muitas pessoas dizem que sobreviveram muito bem a uma educação autoritária e coerciva, que funcionava para aquela sociedade, mas hoje vemos muitos adultos que não conhecem suas emoções porque foram calados e, agora, adoecem por não falarem dos seus sentimentos.

Se queremos que nossos filhos se tornem adultos que tenham voz ativa, precisamos dar voz às crianças, deixar que se expressem, que falem das suas necessidades. Sim, eu sei que é difícil, os comportamentos desafiadores podem se intensificar, mas existe uma grande diferença entre ser permissivo e fazer tudo que os filhos querem ou simplesmente validar seus sentimentos, orientar a maneira correta de agir e limitar as escolhas de acordo com o que nós, pais, acreditamos que é o melhor.

Family at leisure

Nós somos umas das primeiras gerações de pais que está entendendo isso e mudando a maneira de educar nossos filhos, com certeza veremos reflexos disso na sociedade, já que o comportamento do adulto vem da educação que teve na infância. Andar pelo caminho do meio, entre o autoritarismo e a permissividade, é desafiador, mas ao mesmo tempo é recompensador. É doloroso porque, para poder educar emocionalmente nossos filhos, precisamos nos educar emocionalmente primeiro, já que não fomos educados assim, mas acredito que somos capazes de construir seres humanos responsáveis pelo que sentem, que saibam fazer boas escolhas.

Nossa maior responsabilidade como pais não é fazer as crianças se comportarem bem, e sim torná-las conscientes de si. É preciso desconstruir a educação do “engole o choro” para podermos reconstruir a nós mesmos e então construir pilares sólidos nas famílias, para que os pais sejam capazes de criar vínculos e relacionamentos saudáveis com seus filhos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s