Claudir dos Santos lançará livro sobre a canoagem de Três Coroas

Uma das principais riquezas de Três Coroas e da região terá a sua história contada em um livro. A obra jornalística “NO RIO QUE CORRE LIGEIRO – A canoagem em Três Coroas” foi escrita por Claudir dos Santos e é resultado de dois anos de pesquisa e entrevistas. Seu envolvimento com o esporte começou quando escrevia matérias para a imprensa da região, para jornal impresso e sites de notícias. Ao descobrir que estas matérias foram usadas para apresentar, aos alunos da Associação Trescoroense de Canoagem (Asteca), a história do esporte na cidade, em janeiro de 2018 o autor iniciou o projeto do livro. “Sempre gostei de escrever sobre coisas que emocionam, a canoagem me causa emoção, por isso o interesse. Antes de eu decidir escrever um livro, já tinha escrito muitas matérias sobre a canoagem. Também gosto de valorizar as coisas da cidade”, comenta.

Um legado pela Canoagem

Ao longo dos anos a canoagem envolveu a população e desencadeou uma série de acontecimentos que mudaram aspectos econômicos e culturais da cidade. Fundada em 1986, a Asteca, acompanhou esse desenvolvimento do esporte, com participações olímpicas e a realização do primeiro mundial no Brasil, que aconteceu em Três Coroas no ano de 1997. “Muita gente em Três Coroas não conhece a Asteca. Muitos conhecem, mas poucos sabem das histórias, das alegrias e das dificuldades. Esse livro vai contar um pouco desses mais de 30 anos de histórias e legados que temos”, manifesta o presidente da Asteca, Jean Möller.

Todas as bibliotecas escolares de Três Coroas irão receber cópias do livro, que vai registrar os acontecimentos e ficar disponível para as futuras gerações conhecerem a história local. “Espero que essa publicação seja importante para alguém. Se alguém gostar terei conquistado meu objetivo. Senti a obrigação de registrar essa história.  Agora essa história também faz parte de mim”, declara o autor.

A obra

O livro será vendido a R$ 20,00, um valor acessível para que o maior número de pessoas possa ter acesso, e toda a quantia será destinada para a Asteca. As despesas gráficas, editoriais e impressão de 1000 exemplares serão viabilizadas através de apoios. Espaços para apoiadores estarão disponíveis na contracapa. O projeto conta com apoio da Prefeitura de Três Coroas, de empresas, do comércio e entidades locais. O lançamento do livro deve acontecer em março de 2020, mês de aniversário da Asteca.

Sobre o autor

Claudir dos Santos, 31 anos – ou quase 32, como ele mesmo define, pois a antiga idade já não lhe serve mais – trabalha como redator freelancer home office. Voltou a morar em Três Coroas depois de estudar Relações Públicas e Jornalismo. Em seu tempo livre, lê e escreve, gosta de pedalar pela cidade, tomar banho de cachoeiras e meditar numa beira de rio. Ele também é vice-presidente do Conselho Municipal de Cultura de Três Coroas, onde representa o segmento literatura.

 “NO RIO QUE CORRE LIGEIRO – A canoagem em Três Coroas”

21 capítulos vão contar a história da canoagem e seu desenvolvimento coletivo. Em destaque, acontecimentos marcantes como a primeira prova de slalom no rio Paranhana, testemunhada por 15 mil pessoas em 1987. Dois anos mais tarde, a primeira competição era realizada na cidade e ela passava a ser um importante centro de canoagem.

Pan-americano de Canoagem Slalom 2019
Três Coroas já sediou importantes competições internacionais, como o Pan-americano de Canoagem Slalom, em abril de 2019. Foto: Diego Land

Na década seguinte, atletas da cidade venceram campeonatos brasileiros e integraram as seleções de diferentes modalidades. Também começaram a participar de campeonatos sul-americanos e os mundiais no tradicional circuito europeu. Com a anúncio da canoagem slalom voltando aos jogos olímpicos a partir de 1992, a modalidade foi estimulada em todo o mundo. Nas olimpíadas de 1992, 1996 e 2000 atletas da Asteca representaram o Brasil.

No ano de 1997 o primeiro mundial de canoagem no Brasil foi em Três Coroas. O país voltou a receber a competição em 2007, em Foz do Iguaçu/PR e 2018, no Rio de Janeiro/RJ. Pessoas ligadas a canoagem, no ano de 1993, deram início ao rafting na cidade. A diversão de descer as corredeiras do rio junto a natureza deixou de ser uma exclusividade dos praticantes de canoagem e recebe anualmente milhares de pessoas no turismo de aventura.

Todos os anos, desde a criação da Asteca, uma importante competição do calendário nacional da canoagem acontece em Três Coroas. Muitas vezes grandes shows fizeram parte desses eventos. Também sem intervalos é a participação de trescoroenses no circuito internacional da canoagem. Além de atletas, a cidade tem árbitros com participações olímpicas. Atualmente o técnico da seleção brasileira de canoagem é trescoroense.

Após uma década sem receber competições internacionais, o Parque das Laranjeiras recebeu as edições de 2018 e de 2019 do campeonato pan-americano de canoagem, mostrando que a cidade segue sendo importante no cenário internacional.

* Foto de capa: Carine Setti

 

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s