CONTUR Hortênsias apresenta plano de trabalho 2022 e vê cenário positivo para o turismo na região

O recém-aberto Mátria Parque de Flores, em São Francisco de Paula, foi o cenário escolhido para a primeira reunião do ano do Conselho de Turismo da Região das Hortênsias (CONTUR), na última quinta-feira, 13. Daniel Hillebrand, presidente da entidade, representando a Sicredi Pioneira e a Visão Agência de Desenvolvimento das Hortênsias, abriu o evento reforçando a importância de um olhar sobre as oportunidades existentes na região, tema que inspirou as pautas estratégicas do encontro que contou com 35 representantes do setor. O CONTUR Hortênsias reúne cinco municípios turísticos da Serra Gaúcha (Canela, Gramado, Nova Petrópolis, Picada Café e São Chico) que agora trabalham juntos com o propósito de conectar a força do turismo.

Após as boas-vindas da família Piazza, proprietária do Mátria, Marcos Aguzzolli, prefeito de São Francisco de Paula, que também prestigiou a reunião, reforçou o apoio ao CONTUR e destacou a importância do turismo como indústria limpa e a força do trabalho coletivo na mudança do município, hoje atraindo grandes investimentos turísticos como o Mátria. Uma pauta bastante esperada era a do cenário do turismo para a região neste primeiro semestre. Segundo Luciano Gonçalves, conselheiro do CONTUR, representando o Convention Bureau Gramado & Canela, a retomada para o setor será com a boa presença do público esperada em mais de 30 eventos já previstos em Gramado e Canela, porém, ainda não alcançando o que se teve em 2019. 

Lisa Gottschalk, diretora do CONTUR, representando o Sinditur Hortênsias, disse que a ocupação hoteleira, frente aos 25 mil leitos monitorados pela entidade, foi de 85% em dezembro de 2021 e 65% na primeira quinzena de janeiro, sendo que após esse período a ocupação reduz historicamente e estima-se que a média de ocupação até junho deve ser em torno de 40%. Portanto, conforme o entendimento do CONTUR Hortênsias, apresenta-se um cenário otimista para a Região neste primeiro semestre, considerando ainda o atual período de restrições pandêmicas.

As atividades para o ano foram apresentadas nas três diretorias da entidade: Planejamento e InfraestruturaInteligência e Inovação; e Turismo.

Rafael Castello Costa, Eduardo Costa e Lisa Gottschalk. Foto: Tatiane Flach

Eduardo Costa, diretor do CONTUR representando a Associação Comercial e Industrial de Nova Petrópolis (ACINP), explicou que as prioridades da diretoria de planejamento e infraestrutura serão o acompanhamento da concessão da ERS235, andamento do novo aeroporto de Caxias do Sul, aproximação do projeto do novo aeroporto de Canela, a captação de recursos públicos e privados para conseguir dar vazão às atividades com a contratação de um executivo para a entidade e também a busca e instalação de uma sede, que poderá ocorrer junto a alguma estrutura da Sicredi Pioneira nesses municípios.

A diretoria de inteligência e inovação, que tem à frente Lisa Gottschalk, o foco será na elaboração de estudos sobre o mercado, com dados de todo o trade turístico entre as cidades da Região das Hortênsias, além de apoiar diretamente a Universidade de Caxias do Sul na execução do projeto do observatório turístico recentemente escolhido como prioridade na consulta popular, que teve o protagonismo do Corede Serra.

Para a diretoria de turismo, liderada por Rafael Castello Costa, haverá total apoio aos projetos de sinalização e produção de materiais para a divulgação do destino turístico, ambos projetos que, também por meio do protagonismo do Corede Serra, foram priorizados na consulta popular. Também será uma prioridade realizar ações de estímulo ao cadastro dos prestadores de serviço do turismo (Cadastur), que impactarão diretamente na conquista de recursos financeiros em nível federal para o turismo da Região das Hortênsias e Serra Gaúcha.

Os status dos aeroportos da região foram tratados e serão objetivos meta da diretoria. Um dos diretores da Prefeitura de Canela, David Keller, relatou os passos dados até o momento com o futuro aeroporto de Canela, que começam com áreas desapropriadas até a outorga da Anac para o funcionamento do terminal, referindo uma luta difícil que não pode mais ser mais de um só município, uma vez que o aeroporto beneficiará a Região das Hortênsias.

Para encerrar a manhã de trabalho, Rogério Rodrigues, executivo do Mobi Caxias, apresentou o modelo de governança e gestão da entidade, criada para projetar um crescimento sustentável para Caxias e região. Na sua pauta, também estava o status de andamento do projeto do novo aeroporto de Caxias do Sul, que será instalado na região da Vila Oliva, que também gerará grande influência para a Região das Hortênsias.

– Nossa entidade está unindo o trade dos cinco municípios: poder público, entidades e iniciativa privada. Já estamos promovendo o diálogo e fazendo a articulação necessária para o desenvolvimento da região, entendendo bem que somos todos Serra Gaúcha. As dificuldades já conhecemos e agora vamos olhar para as oportunidades, deixando uma forte marca de capacidade de execução, tirando as ideias do papel e transformando em realidade, com muita cooperação – disse, Daniel Hillebrand.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s