Março de 2020: o mês mais longo dos últimos tempos!

Olá! Venho através dessa escrita compartilhar um pouco do que ouvi e também vivenciei nesse mês de março de 2020. Um período totalmente atípico em nossa vida. Um mês que deixará marcas na nossa história enquanto indivíduos e enquanto humanidade. Em crianças, jovens, adultos e idosos. Marcas em alunos e alunas, professores e professoras, em empresários e empresárias, em autônomos e autônomas, em líderes religiosos, em donas e donos de casa…em avós e avôs, naqueles da melhor idade que, agora, não parece ser tão boa assim…em profissionais da saúde que estão oferecendo diretamente seus cuidados em hospitais e postos de saúde, também naqueles que estão cuidando de forma virtual, como nós, profissionais psicólog@s. Marcas de diferentes formas, com um turbilhão de sentimentos.

Grande parte da população está com medo do coronavírus. Os que sentem medo, até um ponto saudável, se previnem com os cuidados recomendados pela Organização Mundial da Saúde: cuidam de si, dos seus, dos outros de uma forma diferente, descobrindo a força do amor e da solidariedade, sem toques físicos, sem proximidade corporal. Possibilidades de aproximações intensas, seja virtualmente ou em sacadas e muros, com sorrisos, gestos, música, orações… Redes de apoio se formaram e se fortaleceram, fortalecendo assim também a saúde emocional de quem se sente parte dessas redes.

saude emocional

Há uma parcela da população que ainda está negando a gravidade do atual momento, negligenciando os cuidados, enxergando como algo muito distante de si, colocando a si e aos outros em risco, não conseguindo exercer a empatia e a solidariedade, dentre outras questões. Infelizmente, essa realidade está presente: as pessoas que ainda estão distantes, psiquicamente, do que estamos todos vivendo. Não encarar a realidade pode estar a serviço de um mecanismo de defesa que trabalha a fim de “proteger” o indivíduo do desprazer, da  ameaça, mecanismo denominado negação.

Pensando sobre isso tudo que está acontecendo, sobre o quanto isso tem a ver com todos nós (mesmo para aqueles que ainda negam a realidade), no quanto se torna desafiador suportar as angústias que são despertadas dentro da gente, as incertezas e ameaças quanto ao futuro, as sensações estranhas, ainda sem nome, que em algum momento estamos sentindo…temos muitas questões para pensar, tentar compreender, analisar e discutir a partir dessa marca: a pandemia do Covid-19.

em casa

É certo que muitos danos psicológicos já estão sendo observados e vivenciados, em muitas pessoas. Quando o medo passa do limite, ele é danoso para o funcionamento emocional e físico do indivíduo. Há um significativo aumento dos sintomas de stress, ansiedade, depressão e, inclusive, casos de suicídio. Estamos recebendo informações sobre a necessidade de estarmos com a imunidade em alta, com a saúde física em dia e, para isso que isso aconteça, é fundamental que haja um processo de fortalecimento da saúde emocional, importante sempre, mas com maior intensidade nesse tempo de crise. Se nossa mente está sobrecarregada, concentrada no que nos ameaça, nutrindo somente expectativas negativas sobre o futuro, com preocupações excessivas na maior parte do tempo, é um importante sinal de alerta de adoecimento emocional.

Há uma preocupação por grande parte d@s psicólog@s em divulgar informações e formas de cuidado para auxiliar no manejo do stress que este momento está causando, porque, sim, é muito sério.

Nesse esforço, também estou aqui para alertar e contribuir. Mas, além disso, para promover algumas reflexões, se você se permitir pensar e investir no seu autocuidado:

  • Quais as crises que você já teve que enfrentar e quais os sentimentos que te auxiliaram nesses enfrentamentos?
  • Quais os teus recursos de saúde emocional que podem ser fortalecidos nesse momento?
  • Será que você consegue encontrar motivos para agradecer, mesmo em meio ao caos?
  • Diante de tantas informações disponíveis, dos mais variados assuntos, você está conseguindo ter um tempo para refletir, para cultivar relacionamentos e experimentar novas possibilidades de vida?
  • O que na rotina anterior à pandemia não cabia na sua vida e que, nesse tempo, está sendo possível?

Deixo algumas questões disparadoras para seguirmos pensando, nos permitindo, “vivendo e aprendendo”, como diz esse ditado antigo, mas sempre atual.

Rear view of a group of diverse woman friends walking together

Quando ampliamos o nosso olhar, podemos enxergar outras possibilidades que podem trazer alívio, esperança e, sobretudo, saúde emocional. Vamos olhar para março de 2020 como um tempo de início para profundas e significativas transformações?

Sigo à disposição para quem quiser contribuir com ideias, reflexões, feedbacks, ou sentir necessidade de uma escuta qualificada e auxílio para o enfrentamento das suas angústias. Atendimentos on-line e, em breve, presenciais.

Um abraço virtual,
Psicóloga Nathalia Pedro
CRP 07/31393
(51) 981918421

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s