O quarto do furacão

Ao contrário do que pode sugerir o título, a crônica dessa semana não trata do quarto de alguma criança mais ativa ou agitada, tampouco o refúgio de algum animal de estimação, digamos, não tão obediente.

Em um livro que li recentemente e que não lembro do título, eu vi essa expressão: “Quarto do Furacão”. No enredo do livro, o termo “quarto do furacão” tratava-se não de um cômodo de uma casa ou local, mas sim do tempo, do espaço que o protagonista encontrava para se “refugiar” e tentar encontrar a calmaria e serenidade em momentos de dificuldades e, a partir desse momento buscar as soluções necessárias. No livro, “quarto do furacão” era uma analogia aos cômodos usados em momentos de tempestades tão comuns nos Estados Unidos e que, felizmente, em nosso país não são frequentes.

Furacao II - Copia

Não tenho formação em psicologia: o pouco que sei advém das leituras que faço e de algumas experiências. Mas admiro muito esse ramo de estudo e profissão. Para mim, a mente humana continua sendo um desafio mas também uma fonte de trabalho e estudo inesgotável, justamente por conta de nossa individualidade: todos temos características únicas.

Muito raro alguém que não tenha entre seus objetivos a felicidade e a tranquilidade, mas a vida muitas vezes nos traz momentos turbulentos e desafiadores, muitas vezes fora de nosso controle e não provocados por nós.

Furacao III

Esses momentos de “tormenta”, digamos assim, desafiam nossos instintos, muitas vezes jogam nossa autoestima no chão, parecem não ter solução. E aí cada um de nós, a sua maneira, tenta reagir aos fatos. De especialistas, amigos, orientadores, as dicas para superar os momentos de dificuldades serão parecidas, e envolverão serenidade, análise dos fatos-causas-consequências-possíveis soluções, bom senso e muitas vezes, tempo.

Nesse sentido, acredito que cada um de nós terá o seu quarto do furacão. Repito: não é um cômodo, mas sim aquilo que buscamos em nós mesmos, a essência própria que nos estimula a superar adversidades, ao nosso modo.

Furacao V

Pode ser o aconchego do colo do pai ou mãe, pode ser a conversa franca e despida de rótulos com o melhor amigo ou o tempo sozinho, tantas vezes necessário. Nosso “quarto do furacão” pode ser o momento de oração ou reflexão, pode ser o retiro, o contato com a natureza ou a prática esportiva. O “quarto do furacão” pode ser aquele hobby que nos acalma, pode ser a leitura ou simplesmente a contemplação.

O que importa, no “quarto do furacão”, é que se encontre a paz, a vontade e as possibilidades de fazer algo diferente, de encontrar meios para superar os obstáculos. No nosso “quarto do furacão” sempre deve haver tempo para refletir, para pensar sobre mudanças e aceitá-las como parte de nosso próprio crescimento e aprendizado.

Furacao IV

Ter um “quarto do furacão” é ter tempo para si mesmo, é procurar se conhecer, é ter uma base sólida, mesmo em tempos de tormenta. O “quarto do furacão” indica algo sólido, que nos protege, que nos permite vislumbrar uma esperança. Um velho ditado diz que “depois da tempestade vem a bonança”. A afirmação carrega uma meia verdade, afinal, em nossa vida é preciso encontrar um porto seguro, um quarto do furacão, para as vezes que enfrentarmos provações e desafios.

Pois antes de tudo, para aproveitar a bonança, é preciso suportar a tempestade. E para tanto, é preciso, no momento da dificuldade, encontrar o apoio. E essa base, esse apoio, na maioria das vezes, está escondido em nós mesmos, na nossa própria capacidade de superar obstáculos. Pensem nisso!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s