Museu do Cimol é indicado para receber menção honrosa pelo IPHAN-RS

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN-RS), divulgou, na segunda-feira, 17, as iniciativas avaliadas e selecionadas pela Comissão Estadual no Rio Grande do Sul, indicadas ao Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade edição 2019. Entre essas, aparece o Museu de História da Tecnologia Harald Alberto Bauer,  de Taquara/RS, que concorre na categoria I – Patrimônio Cultural Material, segmento III – Instituições sem fins lucrativos da sociedade civil organizada do Edital.

Localizado junto à Escola Técnica Estadual Monteiro Lobato (Cimol), o Museu tem o objetivo de promover e coordenar atividades de caráter educacional e cultural através da mobilização da comunidade, especialmente estudantes, no sentido de apoiar a conservação, proteção e difusão do seu acervo.

Idealizado pelo Mestre Bauer, inventor, colecionador, professor e primeiro diretor do CIMOL, o Museu atualmente é referência no segmento em todo o Estado e relevância nacional, começou a tomar forma há 40 anos. Em 2012, Harald faleceu e não pode ver realizado o seu sonho da ampliação e reforma do museu, que foi efetivado somente em 2014, através do benefício da Lei Rouanet.

O próximo passo é a análise pela Comissão Nacional de Avaliação, formada pela presidente do Iphan, Kátia Bogéa, e por 19 jurados que atuam nas áreas de preservação ou salvaguarda do Patrimônio Cultural no país. O resultado final do concurso deverá ser divulgado até o dia 20 de agosto de 2019, no site do Iphan.

A ação foi inscrita pela Associação Amigos do Museu de História da Tecnologia Harald Alberto Bauer – CIMOL com o apoio da Startup Sanches Assessoria em Projetos. Pela primeira vez o município de Taquara tem um representante do Patrimônio Cultural Material indicado à Menção Honrosa nesse renomado prêmio de reconhecimento nacional.

Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, 32ª edição, 2019

Promovido pelo Iphan – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, desde 1987, o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade prestigia, em caráter nacional, as ações de preservação do patrimônio cultural brasileiro que, em razão da originalidade, vulto ou caráter exemplar, mereçam registro, divulgação e reconhecimento público. Esse reconhecimento é oferecido, anualmente, a empresas, instituições e pessoas de todo o Brasil, e tem destacado, ao longo dos anos, a diversidade e a riqueza do Patrimônio Cultural Brasileiro (Material e Imaterial) em suas manifestações culturais, antigas e modernas curvas da arquitetura nacional ou em grandiosas paisagens arqueológicas e naturais.

O advogado, jornalista e escritor Rodrigo Melo Franco de Andrade nasceu em 17 de agosto de 1898, em Belo Horizonte. Foi redator-chefe e diretor da Revista do Brasil e, na política, foi chefe de gabinete de Francisco Campos, atuando na equipe que integrou o Ministério da Educação e Saúde do governo Getúlio Vargas. O grupo era formado por intelectuais e artistas herdeiros dos ideais da Semana de 1922. Rodrigo Melo Franco de Andrade comandou o Iphan desde sua fundação, em 1937, até 1967.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s