Quando é hora de dar um tempo…

Há dois anos atrás após sair da empresa familiar em que fiquei por 20 anos, minha psicóloga Sinara recomendou: “Muri tu precisa ficar pelo menos dois meses sem fazer nada!”. Então eu, que nunca parei, pensei: “Será que vou conseguir?”

Primeiro dormi bastante, depois fiz algumas organizações na casa. Tinha tempo até para ficar deitada na rede da sacada do meu quarto, causando até estranheza dos meus vizinhos que me conhecem tão bem. Tinha tempo para cozinhar, para ler e até tempo para não fazer nada.

Recuperei minha bicicleta que estava parada e fiz dela o meu novo meio de transporte. Um dia me deu na louca e fui visitar minha sogra pedalando até Novo Hamburgo levando minha linguicinha Mel na cestinha. Levei 4 horas, mas chegamos!

Vi que a minha família estava começando a ficar com medo destas minhas aventuras. Em uma noite postei nas redes sociais, perguntando se alguém sabia de algum grupo de bike de mulheres aqui da cidade ou algumas que quisessem pedalar juntas. Mal sabia eu que resultaria num grupo de 70 mulheres, o Bike&Elas.

Bike&Elas

Não fazer nada, fez com que os meus sentidos ficassem mais aguçados. Consegui escutar os passarinhos cantando e vê-los pertinho de mim, pude enxergar sardas no rosto da minha filha que, segundo o meu marido, sempre estiveram ali e, com a minha vida corrida, eu não dava o tempo de enxergar.

Lembra que em outro momento havia dito que busquei a terapia quando percebi que o meu filho roía as unhas do pé?

Pois então: completando um mês do meu tempo de não fazer nada estando em casa mais presente com os meus filhos e marido, meu filho deixou de roer suas unhas.

É preciso diminuir a correria, a barulheira, parar de reclamar, de fazer perguntas, de imaginar respostas. É necessário aquietar um pouco a vida para simplesmente deixar o coração nos contar o que sabe. E ele conta, com calma deste tempo que nos damos, e as respostas vem.

Se permitir dar um tempo para si mesmo, melhora os nossos sentimentos com a gente mesmo, cessam as expectativas, param as comparações e faz a gente compreender quais são os nossos valores.

Muri e filha

O que procuramos fora na verdade está dentro da gente!

Talvez a gente tenha dado tanto aos outros e esquecido de guardar um pouco para nós. A gente precisa de tanto amor e carinho quanto os outros, ainda mais do nosso próprio carinho.

É preciso PARAR para arrumar as bagunças por dentro. Estas bagunças que a gente quer empurrar para baixo do tapete e os problemas que tentamos evitar olhar.

É preciso ter muita coragem para tirar debaixo do tapete, enxergar o quanto essa bagunça machuca e querer organizá-la.

Eu me questiono sempre e compartilho algumas perguntas certeiras para você se fazer também:

  • Você sente que precisa dar um tempo?
  • Qual a primeira vontade você gostaria de realizar ganhando este tempo?
  • Você sabe quais os teus valores?
  • Qual dos teus sentidos você mais usa?
  • Você reclama mais ou agradece mais?

Dando um tempo,  Muri Coach ❤

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s