#100dias de #isolamentosocial

Que tempos intensos esses que estamos vivendo. Que tempos que andam nos sacudindo, nos chacoalhando, revirando nossos pensamentos e atitudes do avesso. O que antes era tão importante de ser resolvido em uma reunião presencial que levava um dia todinho, agora vira pauta de um e-mail ou de uma call de meia hora. Pronto, resolvemos.

O pijama, que era utilizado apenas para dormir, virou vestimenta indispensável para lives e postagens, no Instagram. Há até marcas novas nascendo focadas nesse item de moda. (Leia sobre isso aqui).

Estreitamos laços com amigos através dos meios digitais.

Nos afastamos de amigos que não nos procuraram durante nenhum dia de isolamento social. Julgamos esses amigos. Fomos julgados por outros. E no fundo? Estamos todos tentando passar por esse período do modo que dá, cada um a sua maneira. Julgamentos nesse sentido, já são vazios a esse ponto da situação.

Há aqueles que se aquietam, em seus cantos e sem interação – tudo bem.

Há aqueles que procuram estar por perto, mesmo que #emcasa – tudo bem.

Eu me mantive forte no propósito de analisar o isolamento social sob o ponto de vista criativo – moda, arte, design. Investigando comportamento, marcas, atitudes e posicionamentos de colegas de profissão e grandes nomes do mercado nacional e internacional, procuro compartilhar meus insights tentando promover diálogos e reflexões.

Inserida há anos no cenário criativo, já consigo mensurar se as ações possuem reais intenções. O olhar crítico sobre o social, cultural e comportamental, às vezes é bastante devastador. Mas mesmo assim, fundamental – afinal de contas, não há como haver pesquisa de moda e desenvolvimento de #narrativascriativas sem posicionamento crítico. Pelo menos não em minha opinião.


Chegamos a ¼ de 2020, #emcasa. Imagem divulgação Instagram Martina Viegas

Dentro da minha iniciativa de experiência imersiva, criei o #quarentenaestampada e estou contabilizando os dias que passo em isolamento social junto aos meus apoiadores, no Instagram. Através do compartilhamento de conteúdos, ideias, pensamentos e acontecimentos verificados nesse período, vou mapeando um pouco do que chamo de “comportamento do criativo”. Sinto que teremos consequências significativas de tal comportamento, no pós-pandemia.

Inclusive essa será a pauta do talk que realizarei amanhã a noite, a convite da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Agradeço a oportunidade e o espaço, promovidos pela iniciativa de convite da Profª Maristela Gomes de Camargo.

Sobre o Talk
Sexta-feira, dia 26/06, às 19h – Talk no Inspira Moda Uem.
Inspirações e previsões para o cenário criativo da pós-pandemia
O link para acesso será disponibilizado minutos antes de começar, na bio do perfil do Instagram do Moda UEM.


Aguardamos vocês para debater os possíveis novos rumos criativos do pós-covid19

Em minha coluna anterior – leia aqui – comentei sobre o caso da marca Vir.Us 2020, de Thaila Ayala. O Efeito Orna publicou hoje uma matéria de análise estratégica sobre a marca que logo após receber duras críticas por seu posicionamento, mudou seu nome para AMAR.CA. Vale a pena ler para complementar de modo analítico o meu pensamento anterior (Acesse aqui a matéria do Efeito Orna).

Precisamos sim, aguçar os nossos olhares sobre tudo o que está acontecendo ao nosso redor durante esse período de isolamento social. Em tempo de máscaras que cobrem nossos rostos e que protegem nossas vidas, os olhos ganham ainda mais destaque.

Maison Schiaparelli lançou o seu ready-to-wear FW2020 repleto de acessórios de moda em forma de olhos e olhares. Confira aqui. Fiz uma breve análise sobre isso nesse post aqui.

100 dias se passaram. Lá se foi ¼ do 2020. Quantos dias mais de isolamento teremos pela frente? Aparentemente, os bares e restaurantes serão reabertos em São Paulo na próxima segunda-feira, 29 de junho. O país passou a marca de 50 mil mortes por covid-19, o pico da doença ainda não chegou e o despreparo ao lidar com a situação só aumenta. Precisamos mesmo sair para comer e brindar? Não conseguimos sossegar mais um pouco em casa?

O perfil @modaracista precisou sair do ar, no Instagram. O motivo? Pelo visto, grandes nomes da moda brasileira não gostaram das denúncias que fizeram contra eles. Procurando reforçar a importância da luta antirracista, escrevi sobre isso nesse post e divulguei alguns perfis que seguem com o propósito de trazer à tona a verdade no mundo da moda.

100 dias já passaram. Como serão os nossos próximos 100 dias?

A começar por hoje, que não deixemos de lado a reflexão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s